Prova resolvida do Revalida - 2015 Prova vermelha

Filtro de questões
15 Questões
22 Questões
23 Questões
9 Questões
9 Questões

Questão 1 Ginecologia-Obstetrícia

Uma paciente de 24 anos, solteira, primigesta, comparece à Unidade Básica de Saúde para sua primeira consulta de pré-natal. O tempo de amenorreia é de 14 semanas. Queixa-se de náuseas e vômitos frequentes, principalmente no período da manhã. Refere que os sintomas vêm piorando desde que soube estar grávida. O exame físico geral está normal e o exame obstétrico é compatível com os de uma gestação de 14 semanas.

As náuseas e os vômitos na forma descrita pela paciente

A constituem sintomas precoce de gravidez múltipla, de modo que a principal medida no momento é aguardar o resultado da ultrassonografia para verificar gemelaridade.

B são sinais de alerta para problemas como a neoplasia trofoblástica gestacional, sendo recomendada a utilização de antieméticos e monitorização dos níveis de gonadotrofina coriônica.

C ocorrem em razão do aumento do volume uterino e os sintomas são progressivos na gestação. Deve-se evitar alimentos no período da manhã e recomendar repouso após as refeições.

D constituem manifestações frequentes no início da gravidez, que se dá em razão de alterações hormonais, de forma que os sintomas reduzirão com o tempo. A alimentação deve ser em pequenas quantidades e várias vezes ao dia.



Questão 3 Clínica

Um adolescente, com 15 anos de idade, procurou a Unidade de Pronto Atendimento relatando febre e dores que começaram nos joelhos, mas já atingem os tornozelos. Apresentou quadro de amigdalite purulenta há três semanas. Ele relatou, também, que teve diagnóstico de febre reumática há três anos, mas não está usando a penicilina benzatina prescrita. Ao exame físico: febril (T = 38,7 oC); ausculta cardíaca: taquicardia persistente e sopro de regurgitação mitral intenso, associado a sopro aórtico diastólico. O ECG mostrou extrassístoles, alterações de ST-T, baixa voltagem e prolongamento dos intervalos PR e QTc.

Considerando os Critérios de Jones modificados e o quadro descrito, o paciente

A não preenche os critérios de Jones pela ausência de eritema marginado e de nódulos subcutâneos.

B não apresenta diagnóstico de febre reumática, pois não está presente a Coreia de Sydenham, que é um critério maior.

C apresenta novo episódio de febre reumática, pois estão presentes os seguintes critérios maiores: artralgia, febre e intervalo PR prolongado no ECG.

D apresenta recorrência de febre reumática, com doença cardíaca reumática estabelecida e mais dois critérios menores, além da evidência de infecção estreptocócica anterior.



Questão 4 Preventiva

Em uma cidade, ocorreram vários casos de uma doença de notificação compulsória, suficientes para ultrapassar o limite endêmico superior em determinado período. A equipe da Vigilância Epidemilógica, após realizar investigação, elaborou o gráfico ilustrado a seguir, que considera a distribuição do número de casos (eixo vertical) em função do tempo (eixo horizontal), além do período máximo de incubação desta doença (linha mais espessa, abaixo do eixo horizontal).

Rev 15 vermelha q 4

Com base nos dados apresentados, como deveria ser caracterizada essa epidemia?

A Exposição maciça, de fonte comum e prolongada.

B Exposição maciça, de fonte comum, curta duração ou explosiva.

C Exposição múltipla, epidemia progressiva ou propagada.

D Exposição maciça, de fonte múltipla, seguida de casos secundários.



Questão 5 Pediatria

Lactente masculino de três meses de idade é trazido pela mãe ao ambulatório de Pediatria. A mãe refere que há um mês a criança iniciou com coriza mucossanguinolenta e irritabilidade com choro fácil. Ao nascimento: peso = 2,2 Kg; perímetro cefálico = 35 cm; comprimento = 48 cm. Ao exame físico verifica-se dor à mobilização de braço esquerdo com choro intenso, coriza mucossanguinolenta bilateral e erosões em lábio superior; palidez cutâneo-mucosa ++/4+; fígado a 3,5 cm do rebordo costal direito e 3,5 cm do apêndice xifoide; baço a 4 cm do rebordo costal esquerdo.

Considerando a principal hipótese diagnóstica, quais são, respectivamente, o exame a ser solicitado e o resultado mais provável?

A Tomografia computadorizada do crânio; velamento dos seios da face.

B Tomografia computadorizada de crânio; calcificações cranianas corticais.

C Radiograma de crânio; microcefalia e suturas cranianas parcialmente soldadas.

D Radiograma de ossos longos; lesões osteolíticas em epífise e espessamento periosteal.



Questão 6 Ginecologia-Obstetrícia

Uma mulher de 27 anos de idade apresenta ciclos menstruais irregulares, variando entre 15 e 60 dias, com duração do sangramento variável de 2 a 10 dias. Relata que já sofreu dois abortamentos espontâneos sucessivos antes de 12 semanas de gestação, sendo o último há um ano. Refere, também, ganho de peso progressivo desde que se casou. Ao exame físico, constatou-se IMC = 32,1 kg/m2 e presença de galactorreia à expressão mamária.

Para elucidação diagnóstica, que exame complementar deveria ser solicitado?

A Dosagem de FSH e LH.

B Dosagem de TSH e prolactina.

C Dosagem de estradiol e progesterona.

D Dosagem de androstenediona e testosterona livre.



Questão 7 Clínica

Uma paciente de 41 anos de idade, com queixa de dor epigástrica em queimação de longa data relacionada à ingesta de alimentos condimentados, retorna em consulta ambulatorial tendo como resultado de endoscopia digestiva alta o diagnóstico de úlcera duodenal e pesquisa de H.pylori positivo. Relatava uso esporádico de antiácidos, mas com pouca melhora da dor. Nega uso de anti-inflamatórios não esteroidais (AINES).

Qual a associação de medicamentos com melhor nível de evidência científica para o tratamento desse caso?

A Agente antissecretor, omeprazol e claritromicina.

B Inibidor da bomba de prótons, eritromicina e B amoxicilina.

C Inibidor da bomba de prótons, amoxicilina e claritromicina.

D Antagonistas do receptor H2 de histamina, claritromicina e amoxicilina.



Questão 8 Clínica

Um homem de 25 anos de idade comparece à Unidade Básica de Saúde queixando-se de feridas na genitália, que apareceram há sete dias, três semanas após uma relação sexual desprotegida. Ao exame apresenta lesão na glande, com 0,6 mm de diâmetro, e na bolsa escrotal, com 0,4 mm de diâmetro; ambas com bordas e bases endurecidas, fundo liso e brilhante, com pouca secreção serosa e pouco dolorosas. Observam-se adenomegalias inguinais bilaterais móveis, indolores e não supurativas. O paciente refere ser portador do vírus HIV, diagnosticado há 1 ano. Foi realizado teste rápido para sífilis, com resultado positivo.

Considerando o exposto, que procedimentos o médico assistente deveria adotar, respectivamente, para o exame do líquor e para tratamento do paciente?

A VDRL; se negativo, iniciar penicilina cristalina por 7 dias.

B VDRL; se positivo, iniciar penicilina cristalina por 14 dias.

C FTA-abs; se positivo, fazer penicilina benzatina em dose única.

D Teste rápido para sífilis; se positivo, fazer penicilina benzatina em dose única.



Questão 9 Preventiva

A equipe de gestão de uma Secretaria Municipal de Saúde, ao implantar uma Unidade de Saúde da Família (USF) em uma área de vulnerabilidade social, reuniu-se para organizar sua agenda de modo a cumprir a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB).

Considerando os aspectos organizativos e de gestão dessa política, são responsabilidades do trabalho dessa equipe

A garantir que o horário diário de funcionamento das Unidades de Saúde da Família tenha o mesmo padrão em todos os territórios.

B dialogar com a comunidade acerca das características e organização do serviço, de modo a estabelecer sua efetiva implantação.

C garantir atendimento e cadastramento a todos os indivíduos que procuram a USF, independentemente do seu local de moradia.

D oferecer serviços com densidade tecnológica variada e de baixa complexidade, capazes de captar usuários mais resistentes e garantir resolutividade.



Questão 10 Pediatria

Um menino de 1 ano e 8 meses de idade é atendido em Pronto Socorro, com história de febre que já dura dois dias. A mãe da criança relata que a temperatura máxima atingida foi de 38,5 °C. O exame físico não mostra de alterações. A criança apresenta-se ativa e consegue ingerir líquidos normalmente. A pediatra solicita exame de urina, que evidencia: 10 piócitos por campo, nitrito (+) e estearase (+). Solicita também urocultura qualitativa e quantitativa com antibiograma, embora não haja antecedente de infecção do trato urinário.

Considerando o quadro acima, qual a conduta apropriada nesse caso?

A Internar a criança, introduzir antibiótico endovenoso e solicitar uretrocistografia miccional após melhora dos sintomas.

B Internar a criança, introduzir antibiótico endovenoso e solicitar ultrassonografia de rins e vias urinárias imediatamente.

C Prescrever antibiótico por via oral, a ser administrado em casa, e solicitar uretrocistografia miccional após 48 horas do início do tratamento.

D Prescrever antibiótico por via oral, a ser administrado em casa, e solicitar ultrassonografia de rins e vias urinárias após resultado da urocultura e término do tratamento.



Questão 11 Ginecologia-Obstetrícia

Uma primigesta com 38 semanas de gestação é admitida na Maternidade em trabalho de parto. O exame obstétrico inicial revela feto em situação longitudinal, apresentação cefálica, frequência cardíaca fetal = 140 bpm sem desacelerações; dinâmica uterina com 2 contrações moderadas em 10 minutos; colo uterino dilatado 4 cm e apagado 40%; pelvimetria interna clínica com conjugata diagonalis de 11 cm, medida do diâmetro bituberoso de 11 cm, espinhas isquiáticas não salientes. A amniorrexe foi espontânea aos 6 cm de dilatação. O padrão de contração uterina manteve-se com 4 contrações em 10 minutos e a paciente recebeu analgesia peridural. Após 12 horas de evolução do trabalho de parto, o exame obstétrico revelou: colo uterino com 10 cm de dilatação, feto com polo cefálico no plano –1 de De Lee e presença de bossa serossanguínea.

Qual é a conduta obstétrica indicada nesse caso?

A Iniciar ocitocina por via endovenosa.

B Indicar resolução do parto por cesárea.

C Aguardar evolução espontânea do período expulsivo.

D Abreviar o período expulsivo com fórceps ou vácuo- extrator.



Questão 12 Cirurgia

Um paciente de 27 anos de idade procura a Unidade Básica de Saúde preocupada com um abaulamento em região inguinal à direita que surgiu há dois meses. Nega outras queixas. No exame clínico, IMC = 20 Kg/m2 (VR = 18 - 25 kg/m2 ) e não há sinais flogísticos locais; a massa de cerca de 5 cm é facilmente redutível. Ao exame clínico não apresentou dor ou qualquer outro achado.

Qual das condutas a seguir é a mais indicada nessa situação?

A Orientar sobre os riscos de encarceramento, obstrução e estrangulamento, e encaminhar para agendamento de cirurgia.

B Orientar sobre o tratamento conservador e sugerir medidas paliativas considerando o risco de recidiva pós-cirúrgica.

C Encaminhar ao serviço de urgência para correção cirúrgica devido ao risco de estrangulamento e isquemia intestinal.

D Tranquilizar o paciente, orientar a evitar esforços físicos, tais como carregar peso e ensinar a reduzir manualmente a hérnia.



Questão 14 Preventiva

Uma análise histórica de alguns indicadores brasileiros referentes às últimas décadas, tais como a distribuição etária da população, o coeficiente de fecundidade e mortalidade, o perfil epidemiológico das doenças mais prevalentes e os hábitos alimentares predominantes, permite inferir que houve

A redução de consumo de alimentos tradicionais da dieta brasileira (arroz e feijão), associada a aumento do consumo de alimentos ultraprocessados.

B aumento dos coeficientes de fecundidade associado à redução do coeficiente de mortalidade, com consequente aumento da expectativa de vida.

C aumento da prevalência das doenças crônicas e não transmissíveis, acompanhado de aumento das doenças transmissíveis e de deficiências nutricionais.

D redução da desnutrição infantil em quase todo o país, exceto na região Norte, onde houve aumento da prevalência de desnutrição crônica associada a déficit de estatura para a idade.



Questão 15 Pediatria

Um recém nascido (RN) de 10 dias de vida, do sexo masculino, é levado ao Posto de Saúde para avaliação, uma vez que seu pai acabou de receber o diagnóstico de tuberculose pulmonar, não tendo ainda iniciado o tratamento. A mãe não possui queixas específicas em relação à criança. A gestação e o parto não apresentaram intercorrências e o aleitamento materno segue sem dificuldades. O RN mostra-se em bom estado geral, ativo, corado, hidratado, e o restante do exame físico é normal.

Nessa situação, qual das condutas seguintes é a mais adequada?

A Não vacinar o RN com a BCG, iniciar isoniazida e mantê-la por 3 meses. Após esse período, o recém- nascido deverá realizar PPD. Se o resultado for maior que 5 mm, manter a medicação por mais 3 meses. Se for menor que 5 mm, suspender a medicação e vacinar com BCG.

B Não vacinar o RN com a BCG, iniciar isoniazida, rifampicina, pirazinamida e etambutol, e mantê-los por 3 meses. Após esse período, realizar PPD. Se o resultado for maior que 5 mm, manter as medicações por mais 3 meses. Se for menor que 5 mm, suspendê-las e vacinar com BCG.

C Vacinar o RN com a BCG, iniciar isoniazida, rifampicina, pirazinamida e etambutol, e mantê-los por 3 meses. Após este período, realizar PPD. Se o resultado for maior que 5 mm, manter as medicações por mais 3 meses. Se for menor que 5 mm, suspendê-las e vacinar com BCG.

D Vacinar o RN com a BCG, iniciar isoniazida e mantê- la por 3 meses. Após esse período, realizar PPD e radiografia de tórax. Se o resultado for maior que 5 mm e a radiografia suspeita, manter a medicação por mais 3 meses. Se for menor que 5 mm, suspender a medicação e vacinar com BCG.



Questão 16 Ginecologia-Obstetrícia

Uma gestante de 28 anos de idade, primigesta, comparece à Unidade Básica de Saúde no dia 25 de junho de 2015, relatando que “seu bebê passou da data de nascer”. Ao verificar o cartão da gestante, o médico encontrou anotação de data da última menstruação de 06/09/2014 e realização de ultrassonografia em 01/11/2014, mostrando idade gestacional de 08 semanas pela biometria fetal. Ao exame obstétrico: altura uterina = 34 cm, feto único, cefálico, insinuado, frequência cardíaca fetal = 140 bpm sem desacelerações, colo apagado 50%, fechado e pressão arterial = 100 x 60 mmHg.

Após essa avaliação, qual seria a conduta apropriada?

A Tranquilizar a gestante e, de comum acordo com ela, encaminhá-la a uma maternidade para provável indução do parto.

B Encaminhar a gestante para a maternidade para realização de cesárea segmentar, pois se trata de uma gravidez com mais de 41 semanas.

C Encaminhar a gestante a uma maternidade de alto risco, devido à desproporção feto-pélvica, pois o feto está encaixado e o trabalho de parto não se iniciou espontaneamente.

D Liberar a gestante para casa, informando que o concepto está bem e orientá-la a procurar uma maternidade, caso apresente perda de líquido ou contrações rítmicas dolorosas.



Questão 17 Cirurgia

Um paciente de 37 anos de idade está no 5o dia pós- operatório de cirurgia abdominal para a exérese de tumor hepático. Recebeu antibioticoprofilaxia com cefazolina durante o procedimento cirúrgico, o qual transcorreu sem intercorrências. Encontra-se internado na UTI, em jejum, com acesso venoso central para nutrição parenteral por cateter na veia subclávia direita. A diurese medida através de sonda vesical de demora apresenta baixo volume nas últimas 24 horas, embora tenha hidratação endovenosa abundante e balanço hídrico cumulativo bastante positivo. Há saída de secreção purulenta pela incisão cirúrgica em pequena quantidade. Queixa-se de mal-estar geral. Ao exame físico, apresenta quadro de febre (38,4 oC), pressão arterial= 100 x 60 mmHg, frequência cardíaca = 108 bpm, frequência respiratória = 22 ipm com enchimento capilar ungueal > 6 segundos. Não há sinais flogísticos ou secreção no local da punção venosa central. Os resultados dos exames séricos colhidos há 30 minutos mostram: glóbulos brancos (GB) = 12.450 mm 3 (valor normal: GB entre 4.000 e 11.000 mm 3 com menos de 10% de bastonetes) com 15% de bastonetes e 70% de segmentados; lactato = 6 mg/dL (valor normal = até 2 mg/dL) e gasometria arterial: pH = 7,28, PaO2 = 76 mmHg, PaCO2 = 32 mmHg, HCO 3 = 16, BE = -10 e saturação de O 2 = 92% (valores normais: pH = 7,35 - 7,45, PaO 2 = 80 - 108 mmHg, PaCO 2 = 35 - 48 mmHg, HCO 3 = 22 - 26, BE = -2 a +2 e saturação de O 2 = (>93%)).

Nesse momento, além da expansão volêmica, constitui conduta correta para as próximas horas:

A início imediato de antibioticoterapia empírica, uso de aminas vasoativas e tomografia de abdome.

B coleta de hemocultura, início de antibioticoterapia após o resultado e ultrassonografia de abdome.

C reabordagem cirúrgica imediata, coleta de cultura da secreção peritoneal e antibioticoterapia após resultado.

D coleta de hemocultura, início imediato de antibioticoterapia de forma empírica e exploração da ferida operatória.



Questão 18 Clínica

Uma mulher de 75 anos de idade procurou atendimento em uma Unidade Básica de Saúde por apresentar, há três dias, quadro de febre baixa, tosse com escarro purulento e leve dispneia. Fumante há cerca de 35 anos (cerca de 25 cigarros/dia), possui diagnóstico prévio de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Há 10 dias, aproximadamente, iniciou quadro com coriza diária, tosse seca e mialgia. Ao exame físico, observa- se: mucosas descoradas (++/4+), paciente hidratada, pressão arterial = 120 x 70 mmHg, frequência cardíaca = 120 bpm, frequência respiratória = 32 irpm, temperatura axilar = 38 o C. A ausculta pulmonar permitiu constatar frêmito tóraco-vocal aumentado e estertores crepitantes no terço inferior do hemitórax esquerdo. A radiografia de tórax evidenciou condensação em lobo inferior esquerdo, sem derrame pleural.

Considerando o quadro apresentado, quais são, respectivamente, o principal agente infeccioso no quadro clínico descrito e a conduta apropriada a ser tomada nesse momento para a paciente?

A Streptococcus pneumoniae; encaminhamento para internação hospitalar e início de antibioticoterapia venosa.

B Staphylococcus aureus; prescrição de antibioticoterapia empírica e acompanhamento ambulatorial.

C Moraxella catarrhalis; encaminhamento à emergência para macronebulização com O2 e tratamento ambulatorial.

D Pneumocystis jirovecii; encaminhamento para internação hospitalar e realização de hemoculturas antes do início da antibioticoterapia.



Questão 19 Clínica

Uma senhora de 85 anos de idade, tem visita domiciliar da Equipe de Saúde da Família (ESF) solicitada por sua cuidadora, pois há dois dias tem apresentado comportamento estranho. Fala coisas desconexas, teve alucinação visual e comporta-se de forma agressiva algumas vezes. A paciente faz seguimento regular com a ESF há 10 anos, atualmente com assistência domiciliar, pois está restrita ao lar, após uma queda sofrida há quatro anos. A médica da equipe conhece a paciente e sabe que ela nunca teve problemas cardiovasculares, cognitivos ou de saúde mental, e que não faz uso de medicamentos contínuos. No exame físico, mostra-se desorientada em relação ao tempo.

A hipótese diagnóstica mais provável e a conduta adequada, são, respectivamente,

A quadro depressivo; tratamento medicamentoso com tricíclico e avaliação por psicólogo.

B quadro infeccioso agudo; solicitação de raio X, exame de urina e hemograma para melhor avaliação.

C demência de Alzheimer; encaminhamento para neurologista para realização de exames de imagem.

D distúrbio de comportamento por transtorno psicótico; prescrição de antipsicótico e encaminhamento para psiquiatra.



Questão 20 Pediatria

Uma paciente de 11 anos de idade dá entrada no Pronto Socorro com história de dor abdominal e oito episódios de vômitos nas últimas quatro horas. A mãe relata que a criança perdeu 4 kg no último mês e está urinando excessivamente. A menina passou por vários exames, com os seguintes resultados: frequência cardíaca = 150 bpm; frequência respiratória = 60 irpm. Mostrou-se sonolenta, olhos fundos, boca seca, com enchimento capilar de cinco segundos, murmúrio vesicular bem distribuído, bulhas rítmicas normofonéticas, abdome flácido e indolor, sem visceromegalias. Não foram evidenciados sinais de irritação meníngea.

Os resultados dos exames laboratoriais estão apresentados a seguir, denotando-se por VR os valores de referência.

Hemogasometria arterial:
pH = 7,1 (VR = 7,35 - 7,45); HCO3 = 8 mEq/L (VR = 21 - 28 mEq/L); PCO2 = 22 mmHg (VR = 35 - 48 mmHg); PO2 = 89 mmHg (VR = 83 - 108 mm Hg); glicemia = 450 mg/dL (VR = 65-99mg/dL); sumário de urina: cetonúria; K = 3,8 mEq/L (VR = 3,5 - 5 mEq/L); Na = 140 mEq/L (VR = 135 - 145 mEq/L); fósforo = 3,5 mg/dL (VR = 3,5 - 5,5 mg/dL); ureia = 35 mg/dL (VR = 15 - 40 mg/dL); creatinina = 1 mg/ dL (VR = 0,6 - 1,3 mg/dL). Hemograma: Hb = 15 g/dL (VR = 11,5 - 15,5 g/dL); Ht = 45% ( VR = 35 - 45%); leucócitos = 4.800 /mm3 (VR = 5.500 - 15.500/mm3).

Qual deveria ser a conduta imediata para esse caso?

A Iniciar insulina subcutânea após controle da desidratação, com expansão volumétrica com soro fisiológico a 0,45%.

B Iniciar insulina endovenosa contínua em bomba de infusão em Y e a expansão volumétrica com soro fisiológico a 0,45%.

C Iniciar solução de manutenção com potássio após controle da desidratação, com expansão volumétrica com soro fisiológico a 0,9%.

D Iniciar reposição em Y de bicarbonato endovenoso e a expansão volumétrica com soro fisiológico a 0,9% para controle da desidratação.



Questão 21 Ginecologia-Obstetrícia

Uma parturiente de 34 anos de idade, grande multípara (VI Gesta), apresentou diabetes gestacional e está com gestação de 39 semanas. Deu entrada na Maternidade em trabalho de parto, com feto único, vivo e em apresentação cefálica. Evoluiu para parto vaginal e, após duas horas de período expulsivo, pariu concepto do sexo masculino com 4,100 kg, apgar 8/9. Logo após a dequitação da placenta, o sangramento uterino se acentuou. Exame obstétrico: útero de consistência amolecida, palpável acima da cicatriz umbilical; ausência de restos placentários; ausência de lacerações do canal de parto. A paciente evoluiu rapidamente com hipotensão, taquicardia e alteração da consciência.

Essa situação poderia ter sido evitada se

A a paciente tivesse sido submetida a um parto cesárea.

B houvesse a prescrição de ocitocina via intravenosa no parto.

C fosse aplicada metilergonovina intramuscular antes da dequitação.

D tivesse sido transfundida com concentrado de hemácias antes do parto.



Questão 22 Preventiva

Uma famosa modelo profissional de 22 anos, acompanhada de sua mãe, procura um cirurgião plástico para a realização de um novo procedimento estético que ele inventou e tem feito extensa divulgação na mídia. Após a cirurgia, o resultado não agradou e a paciente decidiu processar o médico pelo mau resultado, questionando a técnica utilizada bem como o fato de ter havido divulgação de suas fotos durante sua internação pelos funcionários da clínica. Na sua defesa, o cirurgião alegou que a paciente foi orientada pela clínica e que assinou o termo de consentimento, tendo sido prestado por ele toda a assistência necessária.

Tendo como base o Código de Ética Médica, no presente caso,

A o termo de consentimento esclarece os riscos e a paciente torna-se responsável pelas eventuais intercorrências, independentemente da ação do médico.

B o médico não pode se responsabilizar pelas ações de seus funcionários na exposição de fotos da paciente durante a internação.

C o procedimento deveria ter passado por fase experimental com obtenção de resultados que comprovem a não-maleficência e o potencial de beneficência.

D a prestação de toda a assistência pelo médico, os diagnósticos estabelecidos e as condutas tomadas são de sua livre convicção.



Questão 23 Pediatria

Uma lactente de 8 meses de idade nascida prematuramente com 32 semanas de gestação, é atendida no Pronto Socorro com história de tosse há três dias. A mãe relata que, hoje, a criança está mais pálida, sonolenta e com dificuldades para respirar, a ponto de impedir a ingestão de alimentos. Ao exame físico, a lactente apresenta-se irritada, em regular estado geral, cianótica, afebril, com sibilância e frequência respiratória aumentada para a idade, com tiragem intercostal e subcostal. A radiografia de tórax na posição anteroposterior está reproduzida a seguir.

Rev 15 vermelha q 23

Qual a conduta apropriada nessa situação?

A Determinar internação para iniciar oxigenioterapia devido aos sinais de gravidade.

B Determinar internação para início imediato de antibioticoterapia de amplo espectro.

C Administrar corticosteroides e broncodilatadores e manter em observação no Pronto Socorro.

D Recomendar retorno ao domicílio, tendo em vista que a família possui inalador para uso da medicação.



Questão 24 Pediatria

Uma menina de 7 anos de idade é trazida pela mãe à Unidade Básica de Saúde com queixa de prurido na região genital há duas semanas que se mostra mais intenso à noite. A mãe relata que uma menina da mesma idade, que mora na casa ao lado, tem apresentado sintomas semelhantes. Ao exame, detectou-se ausência de sangramento ou corrimento e que a membrana himenal está íntegra. Nota-se apenas a presença de eritema na região vulvar e perianal.

Quais são, respectivamente, a hipótese diagnóstica e a conduta a ser adotada nesse caso?

A Enterobiose; receitar mebendazol oral.

B Herpes genital; investigar violência sexual.

C Candidíase vulvovaginal; receitar antifúngico tópico.

D Vulvovaginite bacteriana inespecífica; orientar higiene.



Questão 25 Cirurgia

Uma paciente de 37 anos de idade encontra-se internada em hospital de referência há dois dias, com diagnóstico clínico e laboratorial de pancreatite aguda leve. Nega quadro semelhante previamente. O ultrassom abdominal realizado na admissão mostrou colelitíase (cálculos múltiplos) sem dilatação de vias biliares intra e extra hepáticas. Os exames séricos realizados na admissão mostraram: hemoglobina = 12 g/dL (valor normal = 11 a 15 g/dL); hematócrito = 36% (valor normal = 35 a 45%); glóbulos brancos (GB) = 11.000 mm3 (9% de bastonetes e 80% de segmentados - valores normais: GB entre 4.000 e 11.000 mm3 com menos de 10% de bastonetes); amilase = 2.120 mg/dL (até 120 mg/dL); TGO = 76 (até 40 mg/dL); TGP = 60 (até 25 mg/dL); bilirrubina total = 0,6 (até 0,8 mg/dL); bilirrubina direta = 0,4 (até 0,5 mg/dL); sódio = 134 mEq/L (valor normal entre 135 e 145 mEq/L) e potássio = 3,6 mEq/L (valor normal entre 3,5 e 4,5 mEq/L). Com o tratamento instituído, houve melhora quase completa da dor abdominal e a paciente teve boa aceitação da dieta que foi liberada.

Qual a próxima etapa que deveria ser adotada no planejamento terapêutico dessa paciente?

A Agendamento de colecistectomia nessa mesma internação pelo risco de recorrência da pancreatite.

B Colecistectomia em um período de até três meses para permitir que o processo inflamatório regrida completamente.

C Agendamento de colangiografia endoscópica retrógada para avaliação do colédoco como preparo para colecistectomia.

D Alta hospitalar com retorno ambulatorial e colecistectomia, se houver mais um episódio de pancreatite aguda nos próximos doze meses.



Questão 26 Clínica

Uma mulher de 16 anos de idade, parda, foi avaliada em um ambulatório de atenção especializada por apresentar fraqueza, cansaço e episódios de dores musculares e articulares, principalmente em mãos e pés. Ela relata apresentar o quadro desde a infância, com crises frequentes de dor de início súbito. Ao exame físico apresentava-se com mucosas hipocoradas e escleróticas ictéricas, além de edema de articulações de mãos e pés. Os sinais vitais aferidos mostraram pressão arterial = 90 x 50 mmHg; frequência cardíaca = 108 bpm; frequência respiratória = 18 irpm e temperatura axilar = 37,1 oC.

Os exames laboratoriais iniciais revelaram:
Hemoglobina = 8,3 g/dL (VR = 11,5 - 15 g/dL);
Hematócrito = 25,2% (VR = 35 - 45%);
VCM = 90 fL (VR = 80 – 96 fL);
Leucócitos = 7.500/mm 3 , com contagem diferencial normal;
Plaquetas = 197.000/mm 3 (VR = 100.000 - 400.000 mm 3 ) ;
Reticulócitos = 7,4% (VR = 0,5 – 1,5%);
Desidrogenase láctica = 870 U/L (VR = 240 – 480 U/L);
Aspartato aminotransferase = 52 U/L (VR = até 38 U/L).

Com base no quadro descrito, qual exame complementar deveria ser realizado a fim de se obter o provável diagnóstico etiológico?

A Teste de Coombs direto.

B Hematoscopia de sangue periférico.

C Teste de solubilidade da hemoglobina.

D Cromatografia líquida de alto desempenho.



Questão 27 Preventiva

O gráfico a seguir mostra a evolução da mortalidade infantil em determinada região, ao longo do tempo, discriminando seus dois compontentes: a mortalidade infantil neonatal e a mortalidade infantil pós-neonatal ou tardia.

Gráfico 1 - Mortalidade Infantil em determinada região e componentes em um período histórico e região.

Rev 15 vermelha q 27

A análise do gráfico revela o padrão de evolução de uma região

A em desenvolvimento, com queda da mortalidade infantil representada pela linha verde, às custas do componente neonatal (linha azul) e pós-neonatal (linha vermelha).

B desenvolvida, com estabilização da mortalidade infantil representada pela linha azul, às custas dos componentes neonatal (linha verde) e pós-neonatal (linha vermelha).

C em desenvolvimento, com queda da mortalidade infantil representada pela linha vermelha, às custas do componente neonatal (linha verde) e pós-neonatal (linha azul).

D desenvolvida, com a mortalidade infantil representada pela linha vermelha, às custas dos componentes neonatal (azul) e pós-neonatal (linha verde).



Questão 28 Pediatria

Um menino de 7 anos de idade, filho de genitor desconhecido, presenciou a morte da mãe. Desde então, passou a apresentar alterações do sono, com terror noturno. Na escola, mudou seu comportamento, passou a se isolar das brincadeiras com os colegas, desmonstrando alteração no humor. Além disso, desistiu das aulas de violão que antes gostava de frequentar. A tia materna, que assumiu sua criação, o levou ao ambulatório em busca de ajuda.

Nesse caso, além da intervenção multiprofissional, qual a conduta adequada?

A Suspender as atividades escolares, com retorno progressivo, e prescrever clonidina.

B Sugerir a manutenção da rotina diária e ingresso em terapia cognitiva-comportamental.

C Sugerir aumento da ingestão de cálcio e ingresso em psicoterapia individual e em grupo.

D Instruir que as atividades escolares sejam desempenhadas em casa, e prescrever sertralina.



Questão 29 Ginecologia-Obstetrícia

Uma mulher de 35 anos de idade, tabagista, assintomática, retorna à Unidade Básica de Saúde para apresentar exame citopatológico de colo uterino. O resultado indica lesão intraepitelial escamosa de baixo grau.

Considerando que, na maioria das vezes, a infecção é pelo HPV, conclui-se corretamente que se trata de infecção

A com potencial oncogênico, devendo-se realizar coloposcopia imediatamente.

B benigna, comum na faixa etária da paciente, devendo-se realizar eletro ou quimiocauterização do colo.

C com espontâneo regresso na maioria dos casos, devendo-se repetir a citologia em seis meses.

D com potencial oncogênico, devendo-se solicitar o teste de DNA-HPV para identificar subtipos específicos.



Questão 30 Clínica

Um paciente de 15 anos de idade procura a Unidade Básica de Saúde devido ao aparecimento de tumoração no antebraço esquerdo há 3 dias. Ao exame físico: bom estado geral e sinais vitais normais. Apresenta nódulo com 3 cm de diâmetro, hiperemiado e doloroso à palpação, localizado sob a pele, levemente elevado, com consistência endurecida e sem ponto de flutuação.

Além de orientar a paciente sobre o diagnóstico e cuidados de higiene, a conduta é

A realizar a drenagem imediata.

B prescrever antibiótico e realizar a drenagem.

C compressa com água morna e prescrever antibiótico.

D compressa com água morna e aguardar drenagem espontânea.



Questão 31 Clínica

Uma mulher de 35 anos de idade é encaminhada ao Ambulatório de Endocrinologia após a sua médica da Unidade de Saúde da Família ter detectado, em exame clínico de rotina, a presença de um nódulo tireoidiano. Na primeira avaliação da especialista, a paciente revela estar assintomática e receosa, temendo que aquela alteração represente uma neoplasia maligna. A endocrinologista descreve o nódulo como superficial, de diâmetro inferior a 1 cm, indolor, localizado no lobo direito da tireoide, com ausência de linfonodos cervicais e supraclaviculares satélites. Em seguida, solicita dosagem de TSH, T4 e T3 livres e ultrassonografia de tireoide. Os resultados evidenciaram TSH, T4 e T3 livres normais e nódulo tireoidiano de 0,7 cm de diâmetro, com margens imprecisas e microcalcificações, sem linfonodos regionais.

Qual deve ser o próximo procedimento a ser realizado no seguimento dessa paciente?

A Punção aspirativa do nódulo tireoidiano por agulha fina.

B Cintilografia da tireoide para avaliação do nódulo tireoidiano.

C Excisão cirúrgica do nódulo tiroideano e exame histopatológico.

D Ultrassonografias sequenciais da tireoide para acompanhamento.



Questão 32 Pediatria

Uma criança de 7 anos de idade é levada pelos pais a uma Unidade de Saúde da Família. Qual dos quadros clínicos a seguir sugere encaminhamento a um serviço de urgência, correlacionando-se a anamnese e o exame clínico da paciente?

A Dor de cabeça frontal há dois meses. Ao exame apresenta-se com 36,0 °C de temperatura axilar; frequência cardíaca = 96 bpm; frequência respiratória = 20 irpm; congestão nasal; rinorreia e dor facial à palpação.

B Falta de ar e cansaço há dois dias. Refere episódios semelhantes anteriormente. Ao exame apresenta- se com 36,5 °C de temperatura axilar, frequência cardíaca = 115 bpm; frequência respiratória = 28 irpm; dispneia moderada; saturação de oxigênio capilar de 89%; sibilos difusos.

C Dor abdominal há cinco dias e episódios prévios semelhantes. Ao exame, apresenta-se com 36,0 °C de temperatura axilar; frequência cardíaca = 78 bpm; frequência respiratória = 21 irpm; ruídos hidroaéreos presentes e dor leve e difusa à palpação, sem defesa, ausência de massas.

D Dor intensa nas pernas há três dias (no final do dia ou durante a noite, ausentes pela manhã). Refere episódios semelhantes há um ano. Ao exame, apresenta- se com 36,2 °C de temperatura axilar; frequência cardíaca = 79 bpm; frequência respiratória = 23 irpm; sem sopros, sem limitação ou edema articular.



Questão 33 Pediatria

Uma menina de 4 anos de idade é trazida à Unidade Básica de Saúde, pois apresentou há dez dias manchas eritematopapulares coalescentes em face e palidez perioral, associadas a episódio de febre de 37,9 oC. O quadro evoluiu nos cinco dias seguintes com manchas eritematopapulares em braços, tronco e nádegas, que esvaneceram com aparência reticulada. Oito dias depois, após exposição solar, as manchas retornaram na face e no tronco. O estado geral é bom, sem outras alterações no exame físico.

A hipótese diagnóstica é de

A sarampo.

B escarlatina.

C exantema súbito.

D eritema infeccioso.



Questão 34 Pediatria

Uma mulher de 19 anos de idade não fez pré- natal e foi internada na maternidade em trabalho de parto. Nasceu uma criança do sexo masculino em boas condições. Os exames realizados na admissão da paciente revelaram sorologia positiva para HIV.

Em relação à amamentação, assinale a orientação correta:

A Estimular o aleitamento materno sob livre demanda.

B Inibir a lactação com cabergolina e iniciar fórmula láctea para o recém-nascido.

C Realizar a alimentação do recém-nascido com o leite materno, após ordenha e pasteurização.

D Liberar a amamentação após avaliação da carga viral e início da terapia antiretroviral para a mãe.



Questão 35 Cirurgia

Um paciente de 23 anos de idade, vítima de um assalto ao sair da faculdade, sofreu ferimento por arma branca em parede abdominal anterior há 30 minutos. Foi levado pelos colegas à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Está assintomático, e como o local era pouco iluminado, não viu o tamanho da faca. Ao exame físico, há um ferimento inciso horizontal (2,5 centímetros) na região hipogástrica a cerca de 3 cm à direita da linha alba, apresentando mínimo sangramento, dor abdominal apenas no local do ferimento, sem sinais de irritação peritoneal, pressão arterial = 120 x 80 mmHg, frequência cardíaca = 92 bpm, mucosas normocoradas e enchimento capilar ungueal normal

Qual seria a conduta adequada a ser tomada nesse caso?

A Suturar o ferimento e encaminhar o paciente ao serviço de cirurgia para realização de tomografia computadorizada de abdome.

B Realizar radiografias simples e ortostática de abdome e tórax, e manter o paciente em observação, se não houver achados positivos.

C Realizar a exploração local do ferimento da parede abdominal e definir conduta de acordo com a presença ou não de violação peritoneal.

D Não suturar o ferimento e encaminhar o paciente imediatamente ao serviço de cirurgia para realização de laparotomia exploradora.



Questão 36 Clínica

Uma mulher de 50 anos de idade, branca, empregada doméstica, procura atendimento ambulatorial por apresentar artralgias de mãos, punhos, ombros e tornozelos há cerca de 4 meses. O quadro articular é aditivo, mesmo em uso de diclofenaco de sódio (150 mg/dia). Ela se queixa de limitação do movimento por dor no período da manhã, com duração de aproximadamente 1 hora. Ao exame encontra-se em bom estado geral, afebril, com sinais de artrite nas articulações interfalangeanas proximais e metacarpofalangeanas de 2° e 3° dedos das mãos, mas sem desvios. Ao exame da pele, observam- se “nódulos” subcutâneos nas superfícies extensoras e regiões periarticulares.

Considerando o quadro descrito, quais são, respectivamente, o diagnóstico e o medicamento a ser indicado nesse momento?

A Osteoartrite; azatioprina 1 mg/kg/dia.

B Artrite psoriásica; sulfasalazina 2 mg/dia.

C Síndrome de Reiter; prednisona 1 mg/kg/dia.

D Artrite reumatoide; metrotexate 7,5 mg/semana.



Questão 37 Clínica

Um homem de 23 anos de idade procura a Unidade de Saúde da Família mais próxima da fazenda em que trabalha com queixa de forte dor de cabeça, náuseas, dor abdominal em cólica e salivação excessiva. Apresenta-se prostrado e relata quatro episódios de vômitos. Ao exame clínico, o paciente apresenta dispneia e sudorese de intensidade leve a moderada após pulverização da lavoura.

Diante do caso de intoxicação por organofosforado que deve ser notificado à vigilância, qual a gravidade do caso e a conduta mais apropriada?

A Intoxicação aguda grave; atendimento inicial pela equipe, que estabiliza o paciente, solicita exames laboratoriais (hemograma completo com reticulócitos e dosagem da acetilcolinesterase) e acompanha o paciente no ambulatório.

B Intoxicação aguda moderada; atendimento inicial pela equipe, que administra hidratação oral e antiemético, para, então, encaminhá-lo ao Serviço de Urgência para diagnóstico clínico-laboratorial (incluindo a dosagem plasmática da acetilcolinesterase) e tratamento.

C Intoxicação aguda leve; atendimento inicial pelo médico da equipe, que prescreverá antiemético e solicitará exames laboratoriais (dosagem plasmática da aceilcolinesterase e glicemia de jejum), recomendando retorno breve para acompanhamento na Unidade de Saúde da Família.

D Intoxicação crônica leve; atendimento inicial pelo médico da equipe, que administra hidratação oral e antiemético, para, então, encaminhá-lo ao ambulatório especializado de referência em saúde do trabalhador para diagnóstico clínico-laboratorial (incluindo a dosagem da acetilcolinesterase) e tratamento.



Questão 38 Pediatria

Um lactente de 4 meses de vida é trazido à consulta de Puericultura em Unidade Básica de Saúde. A mãe relata lacrimejamento persistente no olho esquerdo, desde o nascimento. Realizou tratamento para conjuntivite com colírio de tobramicina por três vezes nos últimos dois meses, sem melhoras. Ao exame físico, constatou-se lacrimejamento em olho esquerdo, com leve hiperemia conjuntival, sem secreção ou edema palpebral.

A conduta adequada nesse caso é

A coletar material para cultura.

B indicar colírio antialérgico.

C tratar com novo colírio antibiótico.

D massagear a região nasolacrimal para desobstrução.



Questão 39 Ginecologia-Obstetrícia

Uma mulher puérpera de 32 anos de idade teve o parto vaginal do seu primeiro filho há 5 dias. Ela procura o ambulatório com queixa de febre de até 38 °C e dor nas mamas. Está amamentando e nega outras queixas. Ao exame, observa-se mamas aumentadas de volume, brilhantes, endurecidas e dolorosas. Não há hiperemia ou área de flutuação.

Para esse caso, qual seria a conduta apropriada?

A Prescrever cabergolina por via oral.

B Iniciar antibioticoterapia por via oral.

C Suspender a amamentação por 48 horas.

D Corrigir a técnica do aleitamento e manter amamentação.



Questão 40 Cirurgia

Uma paciente de 40 anos de idade procura a Unidade Básica de Saúde com ferimento corto-contuso de 7 cm de extensão na face anterior da coxa direita, de bordas regulares, acometendo pele, tecido subcutâneo e musculatura, causado por vidro, o sangramento local é de pequena monta. Informa reforço de vacina antitetânica há 1 ano.

Após antissepsia local, bloqueio anestésico e limpeza da ferida constatando-se que não há corpos estranhos, deve-se realizar o reparo da ferida com

A fio absorvível 3-0 para a musculatura, fio absorvível 3-0 para o tecido celular subcutâneo e fio não absorvível 3-0 para a pele.

B fio absorvível 5-0 para a musculatura, fio absorvível 5-0 para o tecido celular subcutâneo e fio absorvível 4-0 para a pele.

C fio não absorvível 3-0 para a musculatura, fio não absorvível 3-0 para o tecido celular subcutâneo e fio não absorvível 3-0 para a pele.

D fio não absorvível 5-0 para a musculatura, fio não absorvível 5-0 para o tecido celular subcutâneo e fio não absorvível 4-0 para a pele.



Questão 41 Clínica

Um homem de 42 anos de idade, morador de rua, usuário de crack e de drogas ilícitas injetáveis, comparece à Unidade de Saúde da Família apresentando quadro de tosse produtiva e febre ao final do dia, há 2 meses. Relata despertar na madrugada por sudorese, inapetência e perda ponderal de 20 kg no período. Ao exame físico, apresentava-se consciente, orientado, hipocorado (+/4+), anictérico, desidratado, febril (temperatura axilar = 37,8°C), com frequência cardíaca = 120 bpm e pressão arterial = 120 x 60 mmHg. Aparelho respiratório com tiragem intercostal bilateral e diminuição global do murmúrio vesicular. Aparelho cardiovascular: ritmo cardíaco regular em 2 tempos e bulhas hiperfonéticas. Abdome indolor à palpação superficial e levemente doloroso à palpação profunda sobre a loja hepática, hepatimetria a 2 cm do rebordo costal direito, de consistência lisa e borda romba. Baço palpável a 1,5 cm do rebordo costal esquerdo. Resultados de exames: teste rápido para HIV positivo; hemograma completo - hemoglobina = 8,0 g/dL (normal de 12 a 15 g/dL), hemotócrito = 24% (normal = 35 a 45%) e leucopenia = 800 leucócitos/mm 3 (normal entre 4.000 e 11.000/mm 3 ); pesquisa de BAAR negativa em 3 amostras de escarro. Foi realizada tomografia computadorizada de tórax, reproduzida na figura a seguir.

Rev 15 vermelha q 41

A partir do quadro clínico, laboratorial e da imagem apresentada, qual seria uma conduta terapêutica adequada?

A Iniciar o tratamento com antirretroviral (lamivudina + efavirenz + tenofovir) e, após 2 semanas, RIPE (rifampicina + isoniazida + pirazinamida + etambutol) por 6 meses.

B Inciar o tratamento com antirretroviral (lamivudina + zidovudina + efavirenz), simultaneamente com o esquema antituberculose estruturado, com rifabutina, por 6 meses.

C Iniciar tratamento com RIPE (rifampicina + isoniazida + pirazinamida + etambutol) com duração de 6 meses e, após 4 semanas, introduzir tratamento com antirretrovirais (lamivudina + tenofovir + efavirenz).

D Iniciar o tratamento com RIPE (rifampicina + isoniazida + pirazinamida + etambutol) recomendado por 6 meses e, após 1 semana, introduzir o tratamento antirretroviral ( lamivudina + zidovudina + lopinavir com ritonavir).



Questão 43 Pediatria

Um menino de 9 anos de idade vem à Unidade Básica de Saúde, trazido pela mãe, para consulta de rotina, sem queixas. Ao exame físico, encontra-se descorado (+/4+), sem outras alterações. A mãe traz os seguintes resultados de hemograma solicitado na última consulta:

Hb = 10,5 g/dL (VR = 11,5 - 15g/dL);
Ht = 30% (VR = 35 - 45%);
VCM = 70 fl/dL (VR = 80 - 96 fl/dL);
HCM = 20 (VR = 80 - 100 fl/dL);
Leucócitos 8.120/mm 3 (53% neutrófilos, 39% linfócitos, 4% monócitos e 2% eosinófilos) (VR = 4.000 - 11.000 mm 3 );
Plaquetas: 305.000 / mm 3 (VR = 100.000 a 400.000 mm 3 );
Reticulócitos: 5,5% (0,5 – 1,5%).

O menino apresenta-se eutrófico, com crescimento adequado, desenvolvimento neuropsico motor adequado para a idade e vacinação correta e completa para a idade. Nesse caso, qual exame deve ser solicitado e qual a hipótese diagnóstica mais provável, respectivamente?

A Dosagem de ferro sérico; anemia falciforme.

B Dosagem de transferrina; anemia ferropriva.

C Eletroforese de hemoglobina; traço falciforme.

D Dosagem de protoporfirina eritrocitária livre; esferocitose.



Questão 44 Ginecologia-Obstetrícia

Uma mulher de 42 anos de idade realizou auto- exame das mamas e detectou nodulação na mama direita, com aumento da sensibilidade local. Na consulta com o médico foi realizado exame das mamas, que revelou mamas difusamente densas à palpação, sem nódulos palpáveis, descarga papilar ou linfonodomegalia. Foi solicitada mamografia, com o seguinte resultado: mamas densas difusamente, BI-RADS 0 (resultado inconclusivo).

Para elucidação diagnóstica, nesse caso, indica-se

A repetir a mamografia.

B encaminhar para biópsia.

C solicitar ultrasonografia mamária.

D solicitar dosagem de marcadores tumorais.



Questão 45 Clínica

Em uma Unidade de Saúde da Família, um adolescente de 16 anos de idade procura atendimento. Ele conta que há 3 dias está com febre de 37,9 °C e dores no corpo, especialmente na região abdominal. Hoje ficou assustado, pois teve importante sangramento gengival. O exame físico no momento está normal. O teste do laço é negativo.

Qual deveria ser a conduta adotada em relação a esse paciente?

A Orientar repouso domiciliar e hidratação oral, pois ainda não existe sinal de alarme.

B Solicitar hemograma, pois o quadro de leucocitose indicará a gravidade da doença na fase aguda.

C Solicitar internação hospitalar, pois a fragilidade capilar associada à dor abdominal indica gravidade da doença.

D Solicitar sorologia para dengue e aguardar o resultado para instituir o tratamento, orientando repouso e hidratação oral em casa.



Questão 46 Pediatria

Um lactente de 3 meses de idade, do sexo masculino, em aleitamento materno exclusivo, é trazido pelos pais ao Pronto Socorro em razão de ter apresentado, há poucas horas, um episódio de perda de consciência e hipotonia, necessitando de estímulo excessivo para voltar ao normal. Os pais, muito assustados com o ocorrido, negam outras queixas e informam que o bebê é prematuro, nascido de parto normal, sem intercorrências. Ao exame físico, revela-se eutrófico com todos os sinais vitais normais.

Qual a conduta mais apropriada diante desse quadro?

A Autorizar o retorno ao domicílio considerando que o bebê está bem, mas orientar retorno imediato ao Pronto Socorro se o episódio se repetir.

B Liberar com medicação sintomática e encaminhar para o neuropediatra, em razão do quadro de hipotonia e perda de consciência.

C Determinar internação para fins de avaliação do neuropediatra e investigação de síndrome convulsiva com hipotonia.

D Determinar internação para observação clínica e investigação das principais causas, verificando os fatores de risco.



Questão 47 Ginecologia-Obstetrícia

Uma mulher de 27 anos de idade, solteira, nulípara, chega à Unidade Básica de Saúde queixando-se de que há dois ou três dias vem sentindo mal-estar geral, sensação de febre e ardor ao urinar. Ontem à noite notou “feridas na vagina”. O exame da vulva demonstrou lesões ulcerosas bilaterais dolorosas, de pequenas dimensões.

Diante desse quadro, quais são, respectivamente, a hipótese diagnóstica mais provável e o tratamento indicado?

A Cancroide; azitromicina 1 g por via oral em dose única.

B Linfogranuloma inguinal; doxiciclina 100 mg, duas vezes ao dia, por 14 dias.

C Herpes genital; aciclovir 400 mg por via oral, três vezes ao dia, por 7 a 10 dias.

D Sífilis; penicilina benzatina 2,4 milhões de unidades via intramuscular, a cada 7 dias, por 3 semanas.



Questão 48 Pediatria

Um menino de 7 anos de idade deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), trazido pela ambulância de suporte básico do SAMU, imobilizado em prancha rígida e colar cervical, vítima de traumatismo crânio-encefálico (TCE) após queda da própria altura quando corria pela casa, há 40 minutos. Nega perda da consciência. Refere cefaleia discreta, sem piora desde o trauma e um episódio de vômito. Ao exame clínico, apresenta-se choroso, respiração espontânea e escore de coma de Glasgow = 15. As pupilas estão isocóricas e fotorreagentes. Não apresenta ferimento corto-contuso em couro cabeludo, apenas pequeno hematoma subgaleal. Não foram acrescentadas novas informações após a anamnese e o exame físico. Os pais são bem orientados e possuem veículo próprio.

Qual a conduta a ser tomada diante desse quadro?

A Trata-se de traumatismo leve, porém não é possível estimar o risco sem que se obtenha pelo menos uma radiografia simples de crânio para descartar possíveis fraturas.

B Trata-se de traumatismo leve de alto risco e o paciente deve ser encaminhado para hospital de referência para realização de tomografia computadorizada de crânio e avaliação neurocirúrgica.

C Trata-se de traumatismo leve. Porém, como a criança apresentou cefaleia e vômito, deve ser mantida em observação na UPA por, no mínimo, 12 horas até sua alta definitiva, caso fique assintomática.

D Trata-se de traumatismo leve de baixo risco e o paciente deve receber alta, orientando-se a família que mantenha observação domiciliar sobre os sinais de alerta e que retorne caso a criança venha a apresentar manifestações clínicas



Questão 49 Clínica

Uma paciente do sexo feminino, com 20 anos de idade, sexualmente ativa, apresenta urgência miccional e disúria há três dias, sem outras comorbidades. A urina encontra-se com coloração turva e cheiro forte. Não tem queixas ginecológicas. Segundo ela, é a quarta vez no ano que tem episódios semelhantes, sempre tratados com sulfametaxozol.

Qual é a conduta mais adequada para esse caso?

A Orientar a paciente a utilizar cefalexina apenas após o resultado do hemograma.

B Orientar a a paciente a utilizar ciprofloxacina imediatamente após a coleta da urocultura.

C Orientar a paciente a utilizar amoxicilina imediatamente após o resultado do exame sumário de urina.

D Orientar a paciente a utilizar lincomicina imediatamente após coleta da urina e o resultado de dosagem de creatinina sérica.



Questão 50 Preventiva

Uma mulher de 23 anos de idade foi admitida na Emergência em trabalho de parto, com ruptura de bolsa uterina. Ela estava na 40a semana de gestação e com pressão arterial de 170 x 100 mmHg. Duas horas após o parto, apresentou crise convulsiva, sendo controlada com medicação. Uma hora depois, apresentou nova crise convulsiva, que evoluiu para coma, seguido de parada cardíaca irreversível e óbito. A figura a seguir apresenta o formulário relativo ao atestado de óbito.

Rev 15 vermelha q 50

Como se deve preencher adequadamente o atestado de óbito?

A Parte I: a - coma; b - crise convulsiva; c - crise hipertensiva. Parte II: (sem preenchimento).

B Parte I: a - parada cardíaca; b - coma; c - edema cerebral; d - crise convulsiva. Parte II: eclâmpsia.

C Parte I: a - parada cardíaca; b - coma; c - crise convulsiva; d - crise hipertensiva. Parte II: hipertensão.

D Parte I: a - coma; b - edema cerebral; c - crise convulsiva; d - eclâmpsia no puerpério. Parte II: gestação de 40 semanas.



Questão 53 Cirurgia

Uma paciente de 24 anos de idade, com queimaduras pelo corpo, chega à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) trazida pelo marido. Acidentou-se ao jogar álcool na churrasqueira. A paciente está consciente e orientada, com queimaduras de segundo grau no tronco anterior e em face anterior do membro superior direito, e queimadura de terceiro grau de 10 cm na mama. Queixa- se de muita dor. Diante disso o médico resolveu interná-la para tratamento.

O médico se baseou para indicar a internação na presença de

A queimaduras de segundo grau em 20% da superfície corporal.

B queimaduras no tórax, havendo suspeita de lesão de vias aéreas.

C queimaduras de terceiro grau em mais de 5% da superfície corporal.

D queimadura circunferencial no braço, com risco de síndrome de compartimento.



Questão 54 Clínica

Uma mulher de 45 anos de idade sedentária e tabagista (5 cigarros/dia), procura atendimento em uma Unidade de Saúde da Família por estar acima do peso e ter o diagnóstico de diabetes confirmado há cerca de 6 meses. Ela informou que, apesar da prescrição de tratamento para o diabetes, não o segue conforme recomendado. Ao exame físico, constatou-se IMC = 33 kg/m 2 (VR = 18 - 25 m2 /Kg) e PA = 140 x 80 mmHg. O abdome tinha aspecto globoso, indolor à palpação, sem visceromegalias. Constatou-se concentração de gordura corpórea em abdome e pescoço. A avaliação do aparelho cardiovascular evidenciou ausência de alterações.

Os exames laboratoriais revelaram:

Glicemia de jejum = 150 mg/dL (VR = 75 a 99 mg/dL)
Hemoglobina glicosilada = 7,0% (VR = 3,8 a 6,4%)
Colesterol total = 230 mg/dL (VR = < 200 mg/dL)
Triglicerídeos = 260 mg/dL (VR = < 260 mg/dL)

Considerando o caso, qual das seguintes recomendações é a mais adequada para o tratamento do diabetes mellitus dessa paciente?

A Iniciar tratamento com insulinoterapia noturna.

B Realizar restrição dietética e praticar atividade física diária.

C Utilizar as biguanidas como drogas de primeira escolha.

D Utilizar as glitazonas, em razão das complicações do diabetes apresentadas.



Questão 55 Preventiva

Na Enfermaria de um quartel militar constatou-se um aumento súbito e importante de casos de afecções entéricas. Foram identificados 180 indivíduos adultos, do sexo masculino, que apresentaram às 14h (mediana do tempo de início dos sintomas) do dia 13 de janeiro de 2015, quadro de diarreia frequente e não volumosa, contendo pus ou sangue, dores abdominais intensas e febre. Não foram detectados casos de maior gravidade. Todos os doentes haviam participado de um jantar comemorativo ocorrido no quartel no dia anterior. Estavam presentes no jantar 220 pessoas. Após a investigação, o fato foi considerado um Surto de Doença Diarreica Aguda por transmissão alimentar. Duas possíveis fontes de infecção foram identificadas, conforme tabela a seguir:

Número total de indivíduos adultos, do sexo masculino, que participaram do jantar comemorativo no quartel, no dia 12 de janeiro de 2015.

Rev 15 vermelha q 55

Analisando os dados do surto epidêmico e a tabela acima, é correto concluir-se que

A a ingestão de frango associada à ingestão de ovos diminuiu a probabilidade de adoecimento durante o surto epidêmico avaliado.

B o ovo pode ser apontado como o alimento com maior probabilidade de ser a fonte de contaminação do surto epidêmico descrito.

C a ingestão de frango associada à ingestão de ovos aumentou a probabilidade de adoecimento durante o surto epidêmico avaliado.

D o frango pode ser apontado como o alimento com maior probabilidade de ser a fonte de contaminação do surto epidêmico descrito.



Questão 56 Pediatria

Um adolescente do sexo masculino de 12 anos de idade é levado à Emergência para avaliação clínica. Apresenta quadro de febre, cefaleia e vômitos com 12h de evolução. A mãe nega antecedentes patológicos relevantes. Exame físico: bom estado geral, com fotofobia, hipocorado 1+/4+, desidratado 1+/4+, anictérico e acianótico. Aparelho respiratório, ausculta cardíaca e exame abdominal sem anormalidades. Não apresenta sinais focais e as pupilas são isocóricas e fotorreativas. Apresenta sinal de Brudzinski positivo. Exame do líquor evidencia glicose = 40 mg/dL (VR = 40 - 70 mg/dL); 1.000 células/mm3 , 80% de neutrófilos (VR = 0 - 5 células/mm3 ); proteínas = 150 mg/dL (VR = 8 - 32 mg/dL).

Tendo em vista o quadro acima descrito, o diagnóstico mais provável e o respectivo tratamento são

A meningite fúngica e anfotericina B.

B meningite bacteriana e ceftriaxone.

C meningite viral e medicação sintomática.

D meningite tuberculosa e esquema tríplice.



Questão 57 Ginecologia-Obstetrícia

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi encaminhado para atendimento de uma gestante de 19 anos de idade, com idade gestacional de 9 semanas (confirmada por ultrassonografia precoce) e queixa de sangramento vaginal intenso. A paciente nega comorbidades ou trauma. Ao exame físico, revela-se hipocorada (++/4+); PA = 90 X 60 mmHg; FC = 110 bpm. O exame ginecológico evidenciou útero intrapélvico e aumentado de volume, colo amolecido com 1 cm de dilatação, presença de sangramento vaginal ativo e saída de restos ovulares. A paciente foi encaminhada para atendimento hospitalar.

Quais seriam, respectivamente, o diagnóstico e a conduta corretos nesse caso?

A Ameaça de aborto; realizar ultrassonografia transvaginal.

B Aborto completo; estabilizar o quadro hemodinâmico e realizar curetagem uterina.

C Aborto incompleto; estabilizar o quadro hemodinâmico e realizar curetagem uterina.

D Aborto infectado; iniciar antibioticoterapia de largo espectro e realizar curetagem uterina.



Questão 58 Clínica

Um paciente de 57 anos de idade apresentava queixas dispépticas há cerca de dois anos, quando procurou atendimento médico. Na época recebeu orientações, tratamento sintomático e foi solicitado o exame de endoscopia digestiva alta. Porém, por ter apresentado melhora com o tratamento instituído, não realizou o exame. Há cerca de 1 mês, voltou a apresentar piora do quadro álgico com as mesmas características e o exame endoscópico agora realizado apresentou laudo sugestivo de lesão maligna não ulcerada, de 5 centímetros, na porção alta do corpo gástrico. O exame anatomopatológico mostrou adenocarcinoma bem diferenciado. A tomografia computadorizada de abdome para estadiamento não mostrou qualquer outro achado.

Considerando os resultados dos exames, a conduta terapêutica a ser tomada deveria incluir a

A ressecção cirúrgica ampla como tratamento exclusivo.

B erradicação do H. Pylori com antibióticos, seguida da ressecção cirúrgica ampla.

C radioterapia associada a quimioterapia, seguida de ressecção cirúrgica ampla.

D ressecção cirúrgica ampla, seguida de quimioterapia neoadjuvante conforme estadiamento.



Questão 59 Clínica

Uma paciente de 65 anos de idade foi encaminhada ao ambulatório de Cirurgia após realizar uma radiografia simples de tórax durante uma consulta de rotina na Unidade Básica de Saúde, tendo sido constatada a presença de nódulo único arredondado com aproximadamente 3,2 centímetros em região central do pulmão direito. Durante a consulta relatou ao médico que fumou 3 maços de cigarro/dia por mais de 30 anos, mas cessou o vício há 1 ano. Nega história familiar de neoplasias.

Qual das seguintes condutas deve ser tomada diante desse quadro?

A Solicitar ressonância magnética de tórax.

B Solicitar tomografia computadorizada de tórax com secção transnodular.

C Realizar broncoscopia com biópsia transbrônquica e exame anatomopatológico.

D Realizar seguimento semestral com radiografia simples de tórax e dosagem de marcadores tumorais séricos.



Questão 61 Pediatria

Um menino de 6 anos de idade é levado ao Pronto Socorro em razão de uma picada de aranha na face dorsal da mão esquerda, ocorrida há cerca de 24 horas. Os pais relatam que, inicialmente, a criança queixou-se de dor local, que melhorou com analgesia oral. Por essa razão, a família não havia buscado atendimento. Hoje pela manhã, no entanto, os pais observaram o surgimento de bolha com piora da dor. A criança descreve que “é como se queimasse”. A aranha não foi coletada, mas a mãe descreve que ela era pequena e “amarronzada”. Ao exame físico, além da lesão descrita, observa-se palidez e temperatura axilar de 39 °C.

Qual aracnídeo está associado ao quadro descrito e qual seria uma conduta adequada?

A Loxosceles; debridamento imediato, pois a lesão pode evoluir para necrose.

B Phoneutria; tratamento tópico da lesão, sendo dispensável a soroterapia.

C Phoneutria; soroterapia devido a manifestações sistêmicas, tais como a febre.

D Loxosceles; realização de exames laboratoriais para avaliação de hemólise intravascular.



Questão 62 Ginecologia-Obstetrícia

Uma paciente de 20 anos de idade, Gesta 2, Para 1, Aborto 1, procura atendimento médico para orientação quanto à contracepção. Desde os 8 anos de idade tem diagnóstico de epilepsia de difícil controle, estando atualmente em uso de carbamazepina (1.000 mg/dia) e ácido valpróico (1.500 mg/dia).

Diante desse quadro, seria mais recomendado

A o dispositivo intrauterino.

B a laqueadura tubária bilateral.

C o diafragma com geleia espermicida.

D a anticoncepção hormonal combinado de baixa dosagem.



Questão 63 Cirurgia

Uma paciente de 35 anos de idade, no 2o pós- operatório de apendicectomia, encontra-se internada em enfermaria coletiva (6 leitos) de pequeno hospital secundário. O achado cirúrgico foi uma apendicite aguda em fase flegmonosa e realizou-se apenas antibioticoprofilaxia durante a cirurgia, com administração de cefazolina. Foi iniciada a alimentação por via oral com boa aceitação, após a eliminação de flatos e fezes. Não apresentou febre. Ao exame clínico, a ferida cirúrgica encontra-se em bom estado.

No planejamento da alta hospitalar para esta paciente, além de orientá-la quanto aos sinais de alerta para infecção da ferida, deve-se

A iniciar a antibioticoterapia e fazer curativos diários até o retorno ambulatorial no 7o dia.

B permanecer sem o uso de antibióticos, dispensando- se os curativos, com retirada dos pontos no 7o dia.

C permanecer sem uso de antibióticos, mas fazer curativos diários, com retirada dos pontos no 7o dia.

D prolongar a antibioticoprofilaxia utilizada até o 5o dia, sem a necessidade de curativos, com retirada dos pontos no 7o dia.



Questão 64 Clínica

Uma mulher de 32 anos de idade apresentou quadro de cefaleia de forte intensidade, de início abrupto, seguido de náuseas, vômitos, fotofobia e rigidez de nuca nas últimas 2 horas. Ela foi atendida em um serviço de emergência. Durante a anamnese, negou febre ou uso de drogas ilícitas. Em relação a seus antecedentes pessoais, informou hipertensão arterial sistêmica controlada com uso de captopril 25 mg, duas vezes ao dia. Ao exame físico, apresentava-se sonolenta, sem sinais neurológicos de localização. Os sinais vitais indicaram pressão arterial = 100 x 65 mmHg; frequência cardíaca = 104 bpm; frequência respiratória = 18 irpm.

Os exames laboratoriais iniciais mostraram:

Hemoglobina = 12,2 g/dL (VR = 11,5 - 15g/dL);
Leucócitos = 4.500/mm3 (contagem diferencial normal) (VR = 4.000 - 11.000 mm3 );
Plaquetas = 297.000/mm3 (VR = 100.000 - 400.000 mm3 );
INR (International Normalized Ratio) = 1,27 (valor de referência até 1,3);
Sódio = 130 mEq/L (VR = 136-145 mEq/L);
Potássio = 3,8 mEq/L (VR = 3,5-5 mEq/L).

O exame fundoscópico revelou a presença de hemorragias pré-retinianas, com papilas ópticas mal definidas.

Considerando esse caso, após avaliação da relação risco- benefício, qual procedimento diagnóstico imediato deve ser empreendido para investigação etiológica do quadro neurológico?

A Angiografia cerebral.

B Ecodoppler transcraniano.

C Ressonância magnética cerebral.

D Tomografia computadorizada cerebral.



Questão 65 Preventiva

Em razão do aparecimento de casos autóctones de febre amarela em um município, foi necessário realizar vacinação de bloqueio para evitar a disseminação da doença. A aplicação da vacina foi feita por técnicos do Ministério da Saúde, as seringas e vacinas foram adquiridas com recursos do município e o Estado ao qual pertence o município participou com a garantia da realização de análises laboratoriais de interesse da Vigilância.

Analisando esse evento, segundo as atribuições de participação dos entes federativos no SUS (Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990 e Portaria no 1.378, de 9 de Julho de 2013), é correto afirmar-se que

A as participações do Município, Estado e União estão de acordo com os princípios, diretrizes e legislação do SUS.

B apenas a participação do Município na campanha de vacinação está de acordo com os princípios, diretrizes e legislação do SUS.

C apenas a participação da União na campanha de vacinação está de acordo com os princípios, diretrizes e legislação do SUS.

D apenas a participação do Estado na campanha de vacinação está de acordo com os princípios, diretrizes e legislação do SUS.



Questão 66 Pediatria

Um menino de 2 anos de idade, previamente hígido, foi atendido em uma Unidade Básica de Saúde em consulta pediátrica de rotina. No exame clínico genital, o médico observou que o prepúcio não expõe a glande, devido à aderência balanoprepucial importante, sem anel fibroso e sem sinais flogísticos local. A mãe informa que, eventualmente, ao trocar a fralda da criança, observa discreta hiperemia local, sem edema ou saída de secreções e sem dor.

A melhor conduta para o caso clínico relatado é

A estimular a retração prepucial manual diária.

B aguardar resolução espontânea da aderência.

C descolar manualmente a aderência durante a consulta.

D encaminhar a criança para resolução cirúrgica da aderência.



Questão 67 Clínica

Um homem de 70 anos de idade é atendido no Ambulatório de Cardiologia com queixa de dispneia aos grandes esforços há um mês, com progressão para os médios esforços. Trata-se de paciente hipertenso, em tratamento irregular com clortalidona (25 mg/dia), tabagista há 30 anos (20 cigarros/dia). Ao exame físico, estava orientado, hipocorado (++/4+), hidratado. A ausculta cardíaca apresenta-se com ritmo cardíaco regular, hiperfonese em B2, sem sopros; ausculta pulmonar com sibilos esparsos e estertores crepitantes em bases. Pressão arterial = 170 x 90 mmHg, frequência cardíaca = 85 bpm e IMC = 32 kg/m2. Eletrocardiogramas anteriores demonstravam sobrecarga atrial esquerda. O ecocardiograma atual evidencia parede posterior do ventrículo esquerdo de 14 mm (VR < 11 mm), septo interventricular de 14 mm (VR < 11 mm), fração de ejeção de 65% (VR > 58%). A radiografia de tórax demonstra área cardíaca normal, com inversão de trama vascular.

Quais são, respectivamente, a hipótese diagnóstica mais provável e a conduta apropriada a ser estabelecida nesse caso?

A Insuficiência cardíaca diastólica secundária a doença pulmonar obstrutiva crônica; recomendar repouso associado a bloqueador de canal de cálcio.

B Insuficiência cardíaca diastólica secundária a hipertensão arterial; recomendar repouso associado a inibidores da enzima conversora de angiotensina.

C Insuficiência cardíaca sistólica secundária a hipertensão pulmonar; recomendar dieta com redução da ingestão de sal associada a beta bloqueadores.

D Insuficiência cardíaca sistólica secundária a miocardiopatia hipertrófica; recomendar redução da ingestão de sal associada a antagonista da aldosterona.



Questão 68 Pediatria

Na Unidade de Saúde da Família, uma criança com 4 anos de idade é atendida com febre e exantema pruriginoso com vesículas, pústulas e crostas na região do pescoço e tronco, verificadas ao exame físico. Segundo a mãe, as lesões surgiram há dois dias. Na creche frequentada pela paciente, outras crianças apresentam quadro semelhante há 4 dias. Ao visitar a creche, o médico da Unidade percebe que três crianças ainda apresentam lesões. Uma das cuidadoras está grávida, com 5 meses de gestação, e refere não ter tido a doença previamente.

Além do afastamento das crianças com lesões, até que todas, estejam em crostas, quais são as outras medidas profiláticas necessárias?

A Administração de imunoglobulina para a gestante e vacinação das crianças maiores de 9 meses de idade suscetíveis, até 8 semanas após o último caso.

B Administração de imunoglobulina para a gestante e vacinação das crianças maiores de 9 meses de idade suscetíveis, até 4 semanas após o último caso.

C Administração de imunoglobulina para as crianças suscetíveis e, também, vacinação das menores de 9 meses de idade, até 4 semanas após o último caso.

D Administração de imunoglobulina para as crianças suscetíveis e, também, vacinação das que forem menores de 9 meses de idade, até 8 semanas após o último caso.



Questão 69 Pediatria

Uma puérpera vem à Unidade Básica de Saúde com seu recém-nascido (RN) de 4 dias de vida. Segundo ela, o bebê está “muito amarelo”. Ela refere ainda que na alta do hospital, há 2 dias, o RN já estava amarelo, mas que houve aumento progressivo da amarelidão. O exame físico revela pele ictérica até região umbilical, sem outras alterações. A carteira de saúde do RN mostra os seguintes dados:

Idade gestacional = 38 semanas;
Peso do RN = 2.900 g;
Comprimento = 49 cm;
Apgar = 8/9;
Tipagem sanguínea do RN = O positivo;
Tipagem sanguínea da mãe = O positivo;
Ausência de intercorrências no nascimento.

Quais são, respectivamente, a hipótese diagnóstica mais provável e a conduta adequada nesse caso?

A Icterícia fisiológica; indicar necessidade de banhos de sol.

B Icterícia fisiológica; solicitar exames para definição da causa.

C Icterícia patológica; internação para realização de fototerapia.

D Icterícia patológica; solicitar exames para definição da conduta a ser tomada.



Questão 70 Ginecologia-Obstetrícia

Uma adolescente de 17 anos de idade comparece à Unidade Básica de Saúde com queixa de nunca ter tido menstruação. Ela informa que sente dores abdominais, aumento da sensibilidade nas mamas e mudanças no estado de humor, e que esses sintomas se repetem ciclicamente. Apresenta distribuição pilosa e desenvolvimento mamário compatíveis com a idade. Nega atividade sexual.

Para confirmação da provável hipótese diagnóstica deve-se realizar

A ultra-sonografia pélvica.

B dosagem dos hormônios FSH e LH.

C exame para avaliar permeabilidade vaginal.

D teste terapêutico com anticoncepcional, aguardando- se a menstruação.



Questão 71 Cirurgia

Uma paciente de 33 anos de idade, portadora de quadro de hérnia inguinal à esquerda, procura o hospital de sua cidade onde é indicada cirurgia ambulatorial com anestesia local, por tratar-se de paciente magra, hígida, sem comorbidades, com hérnia de pequeno tamanho, mas que a incomodava durante as corridas que pratica regularmente.

Qual a conduta adequada nesse caso em relação à utilização do checklist do protocolo de cirurgia segura de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) ?

A Dispensa-se o uso do checklist, por ser uma cirurgia de pequeno porte.

B Deve-se seguir à risca o protocolo, contemplando os três momentos: pré, trans e pós-operatório.

C Dispensa-se o preenchimento da fase pós-operatória, por ser um caso de cirurgia com anestesia local.

D Deve ser aplicado somente no período anterior e posterior ao término da cirurgia, por ser uma cirurgia ambulatorial.



Questão 72 Clínica

Um homem de 46 anos de idade compareceu a consulta médica na Unidade Básica de Saúde relatando febre alta e calafrios que se iniciaram durante a noite. Além disso, descreve aparecimento de dor na perna esquerda. Ele apresentava antecedentes de varizes e edema crônico nos membros inferiores. Ao exame físico apresenta: temperatura axilar = 39 °C, PA = 140 x 90 mmHg e FC = 100 bpm. Além disso, observam-se extenso eritema, edema e aumento da temperatura no membro inferior esquerdo, com dermatofitose (Tinea pedis), manifestando-se como descamação e fissuras interdigitais no pé esquerdo. No centro da lesão, visualiza-se uma área de rubor mais intensa com formação de flictena.

Diante do quadro apresentado, qual seria o tratamento mais indicado?

A Repouso e elevação do membro inferior esquerdo, uso de anti-inflamatórios não hormonais e aplicação de amicacina 500 mg via intramuscular de 12/12 horas.

B Manter deambulação normal para evitar trombose venosa, uso de sulfametoxazol + trimetopim, 2 comprimidos de 12/12 horas, tratamento das dermatofitoses com mupirocina.

C Repouso e elevação do membro inferior esquerdo, uso de penicilina G - 1 a 2 milhões de unidades por via endovenosa de 4/4 horas, e aplicação de miconazol para tratamento da dermatofitose.

D Manter deambulação normal para evitar trombose venosa, aplicação de penicilina benzatina 1.2 milhões UI intramuscular, e uso de mupirocina 2% sobre a área comprometida e sobre as lesões interdigitais por 3 dias.



Questão 74 Pediatria

Um lactente de 18 meses de vida é levado à unidade de Emergência Pediátrica com quadro clínico de convulsão tônico-clônica generalizada, iniciado há 5 minutos, e febre (38,2 °C). Após medidas de suporte, administração de antitérmico e infusão de benzodiazepínico por via endovenosa, a convulsão cessa. A mãe conta que foi o primeiro episódio, e que a criança estava com coriza e obstrução nasal há dois dias. Exame físico: sem anormalidades. Após período pós-ictal ela desperta afebril e o exame neurológico não apresenta alterações.

Diante do quadro clínico apresentado, além de manter acompanhamento ambulatorial, constitui conduta adequada

A Solicitar encefalograma e prescrever anticonvulsivante.

B orientar a família sobre as causas da convulsão, sem prescrição de anticonvulsivante.

C determinar a coleta de líquido cefalorraquidiano e introduzir antibioticoterapia empírica com ceftriaxona.

D solicitar tomografia computadorizada de crânio e prescrever benzodiazepínico em novos episódios febris.



Questão 75 Ginecologia-Obstetrícia

Uma paciente com 27 anos de idade, primigesta, com gestação de 34 semanas, queixa-se de sangramento genital há cerca de uma hora. Nega dor abdominal ou outros sintomas. Ao exame clínico, constata-se bom estado geral e PA = 110 x 70 mmHg. O feto está em situação transversa, com batimentos cardiofetais de 144 bpm. A dinâmica uterina é de uma contração de leve intensidade, com 30 segundos de duração, em 10 minutos de observação. O exame especular revelou colo uterino com orifício puntiforme e presença de sangramento discreto, cor vermelho-vivo, de origem uterina, contínuo e de leve intensidade.

Qual o provável diagnóstico diante desse quadro?

A Placenta prévia.

B Abortamento tardio.

C Trabalho de parto pré-termo.

D Descolamento prematuro de placenta.



Questão 76 Cirurgia

Uma paciente de 19 anos estava jogando handebol em uma competição da faculdade, quando, ao saltar para arremesso da bola, desequilibrou-se e “pisou em falso”. Queixa-se de muita dor no local. Ao exame físico local, nota-se edema (+2/4+), discreto hematoma e dor à palpação do maléolo lateral. Não consegue apoiar o pé no chão devido à dor. As duas imagens abaixo mostram duas incidências de radiografia simples do tornozelo da paciente.

Revalida 2015 vermelha q 76

Considera-se a conduta mais apropriada para essa paciente o(a)

A encaminhamento para hospital ortopédico para possível conduta cirúrgica devido à fratura.

B encaminhamento para hospital ortopédico para possível conduta conservadora com uso de gesso devido à fratura.

C uso de gelo no local (até 3 vezes por dia por 30 minutos), anti-inflamatórios não esteroidais e uso de tala para imobilização analgésica por 5 a 7 dias.

D orientação de repouso relativo, uso de gelo no local (3 vezes por dia por 30 minutos) e de anti-inflamatórios não esteroidais, liberando a paciente para ir para casa.



Questão 77 Clínica

Uma mulher de 45 anos de idade, portadora do vírus da hepatite C, genótipo 1b, compareceu à consulta para mostrar resultados de exames e definir continuidade de tratamento. Ela apresenta quadro de cirrose compensada (escore de Child-Pugh = 6 pontos) e critérios de fibrose hepática extensa, sem tratamento específico prévio. Na avaliação pré-tratamento, ela apresentava carga viral de 2 milhões de cópias/mL. Foi prescrita terapia tripla para o vírus C (interferon peguilado, ribavirina e telaprevir). A paciente está em uso da medicação há 12 semanas e a carga viral na semana 12 foi de 500 cópias/mL. A paciente não apresenta outras infecções.

Com base nas Diretrizes Terapêuticas para Hepatite C do Ministério da Saúde de 2013, conclui-se que não houve resposta ao telaprevir. Em vista disso, qual é o esquema terapêutico recomendado para essa paciente?

A Substituir todo o esquema e repetir o exame da carga viral em 4 semanas.

B Substituir todo o esquema mantendo as novas medicações até completar 48 semanas de tratamento.

C Interromper todo o tratamento devido à falha de resposta ao telaprevir e realizar acompanhamento clínico da paciente.

D Manter o tratamento com interferon peguilado e ribavirina e repetir o exame da carga viral na semana 24 do tratamento.



Questão 78 Preventiva

O médico de uma Equipe de Saúde da Família faz uma visita domiciliar a uma paciente idosa, obesa, diabética e que tem dificuldade de locomoção. Ela não consegue seguir as orientações da equipe, não toma as medicações indicadas, mora sozinha e lê com dificuldade. A paciente mostra uma caixa onde coloca todos os medicamentos. Para ajudá-la, o médico e a equipe refazem a receita e as orientações escritas com desenhos, separando os medicamentos por horários.
Diante desse quadro, que outra conduta deveria ser tomada pela equipe?

A Encaminhar a paciente para internação hospitalar, para avaliação e seguimento com geriatra até a estabilização do quadro, que é complexo.

B Encaminhar ao endocrinologista para adequação do tratamento medicamentoso, ao fisioterapeuta para terapia de mobilidade e ao nutricionista para orientação dietética.

C Solicitar a presença da família para ajudar no plano de cuidados e formular denúncia ao Ministério Público por negligência ou maus tratos, tendo em vista que a senhora é dependente.

D Solicitar ajuda ao Conselho do Idoso para que a paciente seja acompanhada por recursos sociais do bairro, envolvendo a equipe de saúde no monitoramento do plano de cuidados.



Questão 79 Pediatria

Um estudante de seis anos de idade, é trazido à Emergência hospitalar apresentando dor abdominal, inicialmente epigástrica e, posteriormente, em flanco direito. Apresenta quadro de febre (38,5 oC), distensão abdominal e vômitos. O quadro iníciou-se há pouco mais de 24 horas, com piora progressiva. A família relata história de episódios de fezes escuras com odor fétido desde quando era lactente. Ao exame físico, demonstrou dor à palpação do flanco direito, mais intensa em fossa ilíaca direita. A ausculta abdominal indicou ruídos hidroaéreos metálicos intervalados por períodos de ausência de ruídos. Ele foi internado.
Foram realizados alguns exames, com os seguintes resultados:
• Leucócitos = 16.500/mm 3 (VR: 5.500 - 6.500/mm 3 );
• Neutrófilos = 11.000/mm 3 ;
• Bastões = 1.700/mm 3 .

A radiografia do abdome evidenciou dilatação e edema de alças do intestino delgado com nível hidroaéreo. O ultrassom abdominal resultou sugestivo de abscesso em região de íleo terminal.
A principal hipótese diagnóstica e a conduta recomendada diante desse quadro são, respectivamente,

A apendicite e cirurgia de urgência.

B invaginação intestinal e enema opaco.

C diverticulite e cintilografia com tecnécio.

D divertículite de Meckel e cirurgia de urgência.



Questão 80 Ginecologia-Obstetrícia

Uma paciente primigesta de 27 anos de idade e com 36 semanas de gestação chega à Emergência Obstétrica queixando-se de cefaleia, visão turva, diplopia e dor epigástrica. Ao exame físico, constatou-se: PA = 170 x 110 mmHg, dinâmica uterina ausente, frequência cardíaca fetal de 140 bpm, reflexos patelares hiperativos.
Nessa situação, qual a conduta imediata indicada?

A Iniciar sulfato de magnésio por via endovenosa.

B Solicitar avaliação especializada de neurologista.

C Interromper a gestação através de cesárea segmentar.

E Colocar a paciente em decúbito lateral e reavaliar a pressão arterial após 15 minutos.



Questão 81 Clínica

Um homem de 26 anos de idade, previamente saudável, procurou assistência médica com queixa de “tumor” no pescoço, com aumento progressivo há 3 meses, acompanhado de perda de peso e sudorese noturna. O exame físico apresentava múltiplos nódulos pequenos em cadeias cervical posterior e subclávia, de consistência endurecida, aderidos aos planos profundos e à pele. Foi realizada biópsia da lesão, cuja análise histopatológica evidenciou: material de biópsia de linfonodo apresentando células típicas de Reed-Sternberg circundadas por bandas de material esclerótico
O diagnóstico mais possível e o tratamento inicial correto para esse paciente são, respectivamente,

A linfossarcoma e radioterapia.

B linfoma de Hodgkin e quimioterapia.

C linfoma de Burkitt e remoção cirúrgica.

D linfangioma e esclerose com bleomicina.



Questão 82 Clínica

Um homem de 32 anos de idade, saudável, procura o Pronto Socorro com queixa de febre, cefaleia e vômitos há três dias. Trabalha como feirante e refere casos de febre na família. Fez uso de um comprimido de amoxicilina. O exame físico revela: estado geral regular, desidratado (+/4+), corado, febril, deambulando sozinho, consciente, orientado e com discreta rigidez de nuca. Não há outras alterações ao exame. Diante do quadro, foi realizada punção lombar com retirada de 2 mL de líquido cefalorraquidiano (LCR) discretamente turvo. O exame laboratorial do LCR revelou: 203 células com 90% de células linfomononucleares (VR = 0 - 5 células/mm3 ), proteína = 60 mg/dL (VR = 8 - 32 mg/dL) e glicose = 50 mg/dL (VR = 40 - 70 mg/dL) (glicemia: 75 mg/dL); coloração ao Gram, Zielh-Nielsen e coloração para fungos negativas.
Considerando os dados apresentados, qual o diagnóstico mais provável nesse caso?

A Meningite viral aguda.

B Meningite bacteriana aguda.

C Meningite por leucemia linfocítica aguda.

D Meningite bacteriana parcialmente tratada.



Questão 83 Clínica

Uma adolescente de 15 anos de idade, previamente hígida, vem à consulta na Unidade Básica de Saúde com a sua mãe, com as seguintes queixas: há 3 dias está apresentando tosse seca, obstrução e coriza nasal hialina, e rouquidão. A temperatura axilar tem-se mantido em torno de 37 oC e ela sente dor de garganta. O exame clínico revela vermelhidão na garganta.
Diante desse caso, assinale a opção a seguir que apresenta o diagnóstico e o agente etiológico mais frequente

A Gripe; Influenza A.

B Faringite; Adenovírus.

C Amigdalite; Streptococcus pyogenes.

D Uvulite aguda; Haemophilus influenzae.



Questão 84 Pediatria

Um menino de 10 anos de idade é trazido pelo pai à consulta pediátrica e relata grande dificuldade escolar do filho. O pai comenta que a professora queixou- se à família que a criança é dispersa em sala de aula, não acompanhando os colegas nas atividades propostas. Durante a consulta com o médico e enfermeira da Equipe de Saúde da Família, o menino comporta-se normalmente e responde de forma adequada às perguntas realizadas. Os exames físicos realizados indicam ausência de anormalidade ou alterações.
Considerando as informações apresentadas, qual o conceito em que se deve basear um projeto terapêutico adequado ao caso?

A O diagnóstico diferencial com distúrbios visuais e de audição é necessário em crianças mais jovens e dispensável no caso apresentado.

B A compreensão do contexto familiar é necessária na avaliação de fatores associados ao baixo desempenho escolar, como violência e negligência.

C As crianças com dificuldade escolar devem ser avaliadas por neuropediatra para definição da necessidade de uso de psicoestimulantes.

D A família deve ser orientada a ser mais firme com a criança frente ao baixo desempenho, por meio de imposição de cronogramas mais rígidos para execução das tarefas escolares.



Questão 85 Ginecologia-Obstetrícia

Uma primigesta de 26 anos de idade, com 20 semanas de gestação, assintomática, comparece à Unidade Básica de Saúde trazendo os seguintes exames: sorologia para toxoplasmose (IgG reagente e IgM reagente), com teste de avidez IgG evidenciando baixa avidez.
Considerando essa situação, qual é a conduta mais indicada?

A Realizar ultrassonografia obstétrica para avaliar acometimento fetal.

B Iniciar tratamento com espiramicina, pirimetamina, sulfadiazina e ácido folínico.

C Iniciar espiramicina e realizar PCR de líquido amniótico para investigação de infecção fetal.

D Solicitar nova sorologia para toxoplasmose em 15 dias para avaliar os títulos de imunoglobulina.



Selecione alguma categoria Voltar ao topo
Fb icon 40 7cccdb7684867b1c0096b463da99e1cbc6262908ec98fefdb610556de4769f46 Twitter icon 40 ae947d7153122e3042f30f4e16c51ec03026ee915a4f89765aa822cefeb179da